sexta-feira, 31 de março de 2017

Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - MASPMASP - Museu Arte Moderna de São Paulo ASP

MASP é considerado o mais importante museu de arte ocidental do Hemisfério Sul. Seu acervo é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN desde 1969, e possui atualmente cerca de 8 mil obras, dentre as quais destacam-se as pinturas ocidentais, principalmente italianas e francesas.











Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (mais conhecido pelo acrônimo  MASP) é uma das mais importantes instituições culturais brasileiras.  Localiza-se, desde 7 de novembro de 1968, na Avenida Paulista,  cidade de São Paulo,  em um edifício projetado pela arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi  para ser sua sede. Famoso pelo vão de mais de 70 metros que se estende sob quatro enormes pilares, concebido pelo engenheiro  Jose Carlos de Figueiredo Ferraz,  o edifício é considerado um importante exemplar da arquitetura brutalista brasileira  e um dos mais populares ícones da capital paulista, sendo tombado pelas três esferas do poder executivo. O engenheiro responsável foi Isac Grobman.
Instituição particular sem fins lucrativos,  o museu foi fundado em 1947, por iniciativa do paraibano Assis Chateaubriand.  Ao longo de sua história, notabilizou-se por uma série de iniciativas importantes no campo da museologia e da formação artística,  bem como por sua forte atuação didática. Foi também um dos primeiros espaços museológicos do continente  a atuar com perfil de centro cultural , bem como o primeiro museu  do país a acolher as tendências  artísticas surgidas após a Segunda Guerra Mundial. 
O MASP possui a mais importante e abrangente coleção de arte ocidental da América Latina.  e de todo o hemisfério sul,  em que se notabilizam sobretudo os consistentes conjuntos referentes às escolas italiana e francesa.  Possui também extensa seção de arte brasileira e pequenos conjuntos de artes e peças  africanas e asiática, artes decorativas, peças arqueológicas, etc ...,
 totalizando aproximadamente 8 mil peças. O acervo é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O museu também abriga uma das maiores bibliotecas  especializadas em arte do país.